sexta-feira, 23 de novembro de 2012

EQUALIZADOR DE 6 BANDAS: DEU CERTO!

Aí está, o novo membro da família: Nemesis, o pedal de equalização com 6 bandas, segundo projeto da General Guitar Gadget.

Equalizador de 6 Bandas, projeto GGG

Antes que me perguntem, o nome de "Nemesis" é por causa da deusa grega, relacionada com o equilíbrio e a justiça. Como um equalizador - e o nome já diz - busca o equilíbrio, dããã, escolhi o nome da deusa pra ele. A imagem eu achei na net, mas não tinha referência, portanto, não sei o nome do artista.
Confesso que fiz esse pedal sem saber direito pra que ele servia. Foi mais pela indicação de um amigo, meu instrutor de guitarra, que disse: "- Cara, vc tem que fazer um equalizador de 4 bandas, que é f*da, é bom pra isso e aquilo e blá, blá, blá."

Fiquei com a conversa na cabeça e um dia resolvi procurar algum layout de equalizador de 4 bandas. Não achei. Achei de 10, de 31, de n bandas mas entendi que era um pouco demais. Ah, e também não podia ter booster ou distorção junto no projeto. Enfim acabei encontrando um projeto na GGG, este de 6 bandas, que podia ser montado com 5 e com um booster discreto. Pensei: "Ah, deve estar bom. Como não sei como o negócio é, vou encarar. Pra quem tá perdido qualquer caminho serve."

Comprei os componentes e de cara percebi que ia gastar mais do que o normal, já que com seis potenciômetros e 6 knobs meu custo de partida já era de R$ 54,00, afinal eu uso componentes de primeira linha. Somando isso ao custo alto pra cacete da caixa Hammond e do footswitch 3PDT, minha conta já tinha chegado em R$ 92,50. Uau!!! Acrescente agora os demais componentes, jacks, placa, fiação, led e adesivos, só de material o pedal já tava na casa de R$150,00. Aí soma o frete das peças (que eu compro pela internet), vai pra R$ 160,00. Ou seja, se um maluco me pedir pra fazer um pedal desses, não dá pra cobrar menos de R$ 280,00. Foram dois dias de trabalho. Menos que isso não dá nem pra conversar.

Mas, enfim...
Trama de ligação dos potenciômetros
Montei o pedal, e de modo geral, não é mais nem menos complexo do que outros que já fiz, como o DOD FX70. Só é muito trabalhosa a montagem dos potenciômetros, porque eles são ligados em série, e precisam ficar equidistantes pra poder ocupar uma posição boa na caixa. Fiz tudo isso antes de concetar com a placa, utilizei fios rígidos, que me pareceram melhores para manter os potenciômetros alinhados. Mas foram algumas horas nessa brincadeira.

Verso da placa. Ficou bunitinho...
No primeiro teste que eu fiz encontrei um problema, que foi de aterramento. Cada vez que tocava no pedal, em qualquer lugar, o amplificador roncava alto. Entendi que poderia ser falta de aterramento em algum lugar, acabei optando em trocar os jacks de IN e OUT que eram de plástico por outros de metal. Na mosca! Era  o que faltava. Agora está perfeito, sem nenhum ruidozinho.

Preparando o adesivo para dar identidade ao pedal

No forum de discussão do site da Handmades, se disse que esse pedal tinha uma característica de usar fonte bipolar, e que portanto só funciona bem com bateria de 9V ou com uma fonte de alimentação exclusiva pra ele, ou seja, não pode compartilhar fonte com nenhum outro pedal. Não sei, ainda não testei este ponto, mas o pedal respondeu tão bem nos primeiros testes que começo a duvidar se isso é real. De qualquer forma, ainda vou testar mais, incluindo isso.


Levei o pedal pro meu amigo testar e ele adorou, disse que era aquilo mesmo e que agora é só timbrar pra ficar igual o equalizador DETOX do Paul Gilbert. Vamos ver, precisamos de mais testes.

Por enquanto não vou postar nenhum sample dele, só depois dos testes e de aprender tudo que eu preciso.

Ficam as imagens, pra começar.

Nemesis, a deusa da equalização...
Um abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário. Terei o maior prazer em responder. Procure não ficar anônimo, por favor.